top of page
  • Foto do escritorRodrigo Fontoura - Ideias Musicadas

Como aprender Violão 7 cordas Estudando Somente 3 Pilares

Salve Salve Pessoal ! Rodrigo Fontoura por aqui.... E hoje eu preparei um conteúdo que vai mudar completamente a forma como você encara os estudos do violão 7 cordas. E digo mais, esse material é tão rico e detalhado que você vai conseguir inclusive aplicar em qualquer estudo de instrumento harmônico.

Presta atenção e vamos lá !

 

Introdução


Quem nunca se viu no famoso dilema: “Será que tenho que estudar todas as escalas para conseguir tocar?" ou “Por onde eu começo a estudar?” ou o mais clássico: “Como eu vou decorar tudo isso?”


Pensando nisso, a gente desenvolveu um método de estudo para que você, que já toca violão de 6 cordas, possa se desenvolver e estudar o Violão de 7 cordas de uma maneira mais fluente e sem ao pressão de achar que você está estudando errado ou deixando algo importante para trás.


Esse modelo de estudo é baseado em 3 pilares básicos e fundamentais que detalharemos a seguir

1 – Apreciação

2 – Sequências / Caminhos / Cadências

3 – Caixa de Ferramentas


Cada um desses pilares são interligados e sustentam algo maior que é justamente a prática musical. Você verá que isso faz muito sentido e vai te levar a finalmente, conseguir desenvolver e estudar de maneira mais fluente e tranquila.

 

1º Pilar - Apreciação


O primeiro pilar é o mais intuitivo e importante: Apreciação Musical!

“PÔ RODRIGO! OUVIR MÚSICA ???" SIM ! Ouvir Música.


Mas a apreciação musical não é basicamente ouvir música. É ouvir e buscar perceber a música no seu todo. Temos o costume de ouvir música de maneira secundária: Colocamos uma música e vamos fazer alguma atividade, ou até colocamos a música para tocarmos junto.


No entanto, poucas vezes paramos o que estamos fazendo para ouvir música com o propósito de estudo. Mesmo que, a gravação seja o nosso objeto final como músicos: Tocar corretamente determinada canção realizando as baixarias. Em alguns casos é mais produtivo ouvir, apreciar e analisar uma música por 5 minutos do que estudar 5 minutos de arpejos, por exemplo.


E não podemos esquecer que ouvindo um choro ou samba, temos ali o resultado final de muito estudo e aplicabilidade de tudo que queremos fazer: arpejos, escalas, baixarias….


 

2º Pilar – Caminhos Harmônicos


A Música Popular Brasileira tenha talvez na sua harmonia, o principal fator que a distingue das músicas de outros lugares. São harmonias ricas, bonitas e complexas. No entanto, os caminhos que permeiam essas harmonias, principalmente no que diz respeito ao choro e ao samba, se repetem corriqueiramente.


Vamos analisar trechos desses dois sambas conhecidos:


Notem que o Caminho Harmônico apresentado tanto na música do Paulinho da Viola quanto na da música do Fundo de Quintal é o mesmo. E eu não estou falando dos acordes e sim do caminho que eles estão sendo tocados. A ordem. A Sequência !


Cada um dos acordes ali tem uma função harmônica específica:

Tônica (I) → V do II → II → V → I (Tônica)


Aplicando no exemplo 1 temos então:


TÔNICA (I) = C

V do II = A7 = Quinto Grau do Campo Harmônico de Dm( que é o II do C)

II = Dm

V = G7

I (Tônica)= C


E esse exemplo se repete inúmeras vezes e em vários outos modelos e caminhos. Obviamente que existem músicas que não seguem esse padrão, mas se tivermos esses padrões muito definidos na nossa cabeça e nos nossos ouvidos, quando surgir algo diferente, identificaremos facilmente.


Então, vamos pensar:


Se os caminhos harmônicos aparecem recorrentemente nas músicas, isso quer dizer que se você se dedicar a estudar um pouco do campo harmônico e transpor essas sequencias que você identificará nas canções durante o exercício de Apreciação Musical, você poderá utilizar frases e baixarias que se adaptam dentro desses caminhos e utilizar eles quando necessário, criando uma espécie de acervo de baixarias ou Caixa de Ferramentas.


Bingo ! Nosso 3º pilar está ai !

 

3º Pilar – Caixa de Ferramentas


Imaginem um mecânico. Ou um encanador.


Você tem uma emergência, liga pra ele ir até sua casa para resolver o problema que você explicou superficialmente por telefone.


Você já viu um mecânico chegar para arrumar o carro só com uma chave de fenda ? A chave de fenda pode até resolver, mas ele vai levar sempre com ele uma caixa de ferramentas.


Com o violonista de 7 cordas é a mesma coisa. Nós precisamos de ferramentas. De ter aquela baixaria já decorada para aplicar na hora certa. Ou aquela frase de efeito para quando vai acontecer aquela mudança de tom... É nesse pilar que congregamos os outros dois pilares e estudamos justamente a aplicabilidade deles.


É unanimidade entre os grandes músicos que “é na roda que se aprende.” A nossa caixa de ferramentas é formada pelo nosso repertório, experiência e vivência. Mas nesse método de estudo você não precisa necessariamente ter 25 anos de Violão para adquirir esse repertório. Esse repertório será formado e baseado nos estudos de apreciação musical e a análise dos caminhos harmônicos.


Quando escutamos uma música e procuramos identificar o tom, qual a sequência harmônica utilizada, a rítmica da baixaria, qual o movimento que ela faz e e etc…. Precisamos ter consciência que poderemos reutilizar essa baixaria, ou essas frases em inúmeros outros lugares. Por isso a importância da escuta consciente no Pilar 1


 

Conclusão.

Nesse post, buscamos mostrar de maneira clara e objetiva um método de estudo para iniciantes do Violão 7 cordas. A proposta é que através da prática, tu consiga passar e entender diversos ponto fundamentais que contempla o estudo desse complexo instrumento.


Obviamente, não temos a pretensão de tornar esse método uma verdade única e absoluta da educação musical, mas acreditamos que esse caminho, principalmente para o iniciante, é um caminho motivador, que alia a prática a teoria e já ajudou mais de 300 alunos nos últimos anos.


Procure absorver ao máximo as informações e lembre-se sempre de se manter ativo.

Um abraço

Rodrigo Fontoura


109 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page